Reflexões sobre a EaD: o que é EaD pra você?

Oi gente, tudo blz?

Eu estou aqui tentando (por que está difícil, rsrsrs) me concentrar no doutorado: estudos, pesquisas, leituras… E também refletindo sobre a Educação a Distância.

Tenho, nesses últimos semestres me deparado com muita gente que não concorda com a EaD, que não concebe uma graduação por esse meio, mas também com muita gente que acredita que é possível, assim como eu acredito.

E eu fico pensando: por que algumas pessoas olham torto para essa modalidade de ensino?

Talvez não conheçam o que seja Educação a distância.

Então… entrar em um ambiente virtual, baixar textos, assistir a vídeo-aulas, ler (estudar) e num determinado dia realizar uma prova, num dos polos da instituição, que oferece o curso, NÃO, para mim isso não é EaD!! 

O que é EaD pra mim?

Primeiro precisamos pensar no que é educação. Nem iremos tão longe, tá? vamos para o conceito apresentado pela Wikipédia mesmo:

Educação engloba os processos de ensinar e aprender. É um fenômeno observado em qualquer sociedade e nos grupos constitutivos dessas, responsável pela sua manutenção, perpetuação, transformação e evolução da sociedade a partir da instrução ou condução de conhecimentos, disciplinamentos (educar a ação), doutrinação, às gerações que se seguem, dos modos culturais de ser, estar e agir necessários à convivência e ao ajustamento de um membro no seu grupo ou sociedade, ou seja, é um processo de socialização que visa uma melhor integração do indivíduo na sociedade ou no seu próprio grupo.

Pronto! Só aí já deu pra perceber que educação é muito mais. Aquelas ações (citadas por mim) comumente reconhecidas como tarefas aceitáveis em cursos oferecidos na modalidade a distância, devem ter outro nome: instrução a distância, sei lá! Mas EDUCAÇÃO não é!!!

O que, para mim, caracteriza a EaD?

Vamos pensar um pouquinho, levando em consideração alguns dos termos evidenciados no conceito da wikipédia: ensinar, aprender, socialização, integração…

Assim tanto no ambiente presencial, como no on-line devemos considerar:

  • a aprendizagem não pode ser passiva – o estudante precisa contribuir;
  • precisa focar no desenvolvimento da autonomia do estudante;
  • os estudantes precisam se reunir, trabalhar em grupos, assim como devem fazer no ensino presencial;
  • o professor deve assumir uma posição secundária – de mediador, facilitador;
  • o foco não deve ser no conteúdo e nem no professor (CUIDADO AQUI – tem conteúdo sim, mas este é direcionado pelos OBJETIVOS do curso/disciplina/módulo, ou seja, não é cada um estuda o que quer e também não é aquele conteúdo elaborado pelo professor e apresentado aos estudantes. Os estudantes é que vão pesquisar e escolher as bibliografias – “seus conteúdos” – que melhor atendem a resolução do problema/estudo de caso apresentado);
  • os estudantes também negociam diretrizes e criam a estrutura do curso;
  • os estudantes devem concordar em participar e entenderem com o que estão se comprometendo – os estudantes são responsáveis pela aprendizagem assim como o professor;
  • as questões pessoais precisam ter espaço para serem debatidas;
  • o ambiente precisa ser acolhedor e proporcionar sensação de comunidade a todos os participantes;

Importante também:

  • os professores precisam dominar a tecnologia;
  • os alunos precisam dominar a tecnologia. Mas e se não dominarem? Não tem problema – aprendem;
  • nem todos os estudantes terão sucesso (oras, assim como na sala de aula presencial, não é verdade?).

Leio sobre o assunto há quase 10 anos e tenho certeza: quanto mais eu sei, mais tenho certeza de que nada sei. rsrsrs

O que percebo é que as pessoas desconhecem o que seja Educação a distância, e muitas delas trabalham diretamente com isso. Ah, sim, claro – muitas estão lá por causa do emprego e não por que acreditam que seja daquela forma.

E aí vai outra coisa muito importante: um curso online não sairá mais barato para a instituição e nem esta deve pensar que a Educação a distância (online) vai trazer mais lucro (mais aluno X menos gastos X menos professores). Podem tirar o cavalinho da chuva, pois estarão oferecendo outra coisa – não uma educação a distância.

A EaD tem outros objetivos mais dignos – proporcionar conhecimento e desenvolvimento a quem está longe ou não tem tempo para acompanhar em tempo real, as atividades oferecidas pelos cursos presenciais.

Essa é minha opinião. Lembrem-se: não sou dona da verdade, não sei tudo e estou em plena transformação.

E você o que acha? Concorda? Discorda? E o que fundamenta sua opinião? Vamos conversar? Deixe seu comentário aqui no blog!

Bjus e até o próximo post!

Déb

Referência de hoje (estou lendo esse livro e amando -muitos dos pensamentos descritos neste post saíram dele – embasaram ainda mais o que eu já acredito – quero fazer um post sobre ele. Vejam a data: 2002 e a leitura é tão atual!)

Palloff, Rena M. Construindo comunidades de aprendizagem no ciberespaço. Trad. Vinícius Figueira. Porto Alegre: Artmed, 2002.

Imagem destacada: pixabay.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s